Descubra como segmentar seu email marketing e melhore seus resultados online

De alguns anos pra cá, o Email Marketing vem figurando longe da lista dos assuntos mais badalados em Marketing Digital. Como esse canal é relativamente antigo comparado às novas ferramentas e estratégias de Marketing Digital, podemos apontar justamente isso como o grande culpado: os muitos anos de mal uso da ferramenta.

Diversas empresas cometeram abusos por muito tempo e essa saturação, somada ao destaque que ganharam outras ações de Marketing Digital, fez com que o email fosse deixado um pouco de lado. No entanto, o ponto que nos importa é que o email marketing nunca deixou de funcionar: isso só acontece quando não é utilizado da forma correta. Ainda nos dias de hoje, esse tipo de ação possui características únicas e bastante valiosas. É um canal que está mais vivo do que nunca, com tecnologia muito mais aprimorada comparada ao passado. Uma delas é o alcance: um email é a coisa mais simples e fundamental que alguém pode ter na Internet e as pessoas já têm a ferramenta totalmente incorporada às suas vidas.

Não são poucas as pessoas que vão além e são até compulsivas com seu uso, passando o tempo todo com a caixa de email aberta e conferindo cada nova mensagem que chega. Isso é extremamente comum, principalmente em ambiente corporativo. Somado a isso, o fato de quase todo mundo ter um smartphone faz o email ganhar ainda mais força. Além disso, os emails são uma forma de contato mais direta e profunda. Em redes como o Twitter e o Facebook, por exemplo, fala-se para todos, e as diversas conversas se perdem umas entre as outras. Além de que, se alguém não está online no momento da publicação, dificilmente voltará para ler o que já foi publicado antes. Já os emails são olhados mais cuidadosamente, geralmente todos os dias. Por mais que todos tenhamos que lidar com alguns SPAMs indesejados, há uma propensão maior de acompanhar cada mensagem, e tudo aquilo que é importante e útil será aberto e lido

Assim como não se constrói um casa ou um edifício sem uma boa fundação, não se faz Email Marketing sem uma boa base (de contatos). Não podemos nunca nos esquecer disso: uma base de contatos é feita de pessoas, e o email será o principal meio de comunicação da sua empresa com elas. Quanto mais essas pessoas confiarem na sua empresa, mais elas engajarão com suas campanhas e mais avançarão no funil de vendas. A lista de emails pode ser um ótimo ativo para você. Contar com uma base que ajuda você a espalhar as novidades, valoriza o que sua empresa produz e responde às suas ofertas é algo bastante valioso. Dito isso, vamos começar esse artigo falando o motivo pelo qual a sua empresa não deve NUNCa comprar listas de email.

Segmentação é a chave para o sucesso no Email Marketing!

Uma das chaves para o sucesso de uma campanha de Email Marketing é o nível de segmentação da lista de destinatários. Com uma segmentação bem definida, os resultados das campanhas tendem a ser muito maiores, não somente nas métricas mais comuns, como taxa de abertura, cliques, etc., como também nas métricas de resultados efetivos, como taxa de conversão e vendas.

Por que segmentar as listas de email?

Antes de explicar as diferenças e aplicações de cada uma das listas, vale mencionar o principal motivo para usar a segmentação de listas: A base de Leads da sua empresa não é toda igual. Pode parecer um pouco óbvio, mas dentro de uma base de contatos existem Leads com perfis muito diferentes uns dos outros. Seja seu estágio (Lead, Oportunidade, Cliente), ou a região em que vive, a segmentação é importante para direcionar a mensagem de forma otimizada, não enviando, por exemplo, emails de oferta de produto ou serviço para quem já é cliente desse produto ou serviço.

Como fazer segmentação de Leads

Como já foi dito, os critérios de segmentação dependem muito da estratégia de captação de informações sobre os Leads de sua empresa e das ferramentas utilizadas. É sempre importante pedir nos formulários informações que sejam de fato relevantes para sua empresa (não adianta pedir um campo como telefone caso ninguém vá ligar para o Lead) e que fazem sentido usar para fazer uma segmentação.

Abaixo, listamos alguns exemplos de segmentação que podem ser usados. Isso varia muito de empresa para empresa, mas alguns desses exemplos valem para quase todas elas:

  • Personas;
  •  Cargos gerenciais (tomadores de decisão, materiais mais estratégicos) ou técnicos (materiais mais práticos, que facilitam o dia-a-dia);
  • Profissionais da área de vendas, Marketing, etc;
  • Área de atuação da empresa do Lead;
  • Pessoas que já demonstraram interesse em outro conteúdo sobre mesmo assunto ou assunto semelhante/complementar;
  • Pessoas que realizaram, ou não, uma conversão nos últimos 4, 5 ou 6 (ou mais) meses (nível de engajamento com sua empresa);
  • Pessoas que já demonstraram interesse em determinado produto mas não compraram;
  • Clientes, não clientes, pessoas que negociaram mas não fecharam etc;
  •  Estágio de Compra.

Entendemos que a segmentação não é algo que estará “certo” da noite para dia. Algumas coisas precisam ser analisadas para chegar a um bom modelo. Por isso, revise os campos de suas Landing Pages e outros formulários. Veja se todos eles são necessários ou se há algum importante que não está presente; certifique-se de que o software de email que sua empresa usa possui uma boa interface para a segmentação e se há listas dinâmicas; faça testes de segmentações a cada campanha e meça os resultados.

O principal ponto é que não existe uma bala de prata para a segmentação. Cada empresa possui e precisa de informações diferentes sobre os Leads e verá um resultado fazendo de uma forma e um resultado diferente fazendo de outra.

Esse material foi construído juntamente com a empresa Resultados Digitais. Por isso, se você gostou e quer saber mais sobre marketing digital, acompanhe nosso blog pois na semana que vem tem mais! ;)

Voltar